Saul Barbosa

Saul Barbosa
Crédito: Divulgação
-"Saul Barbosa é um dos nossos sonhos, de sons nossos, sonhos de inteligência e axé. Saul é um músico da Bahia universal". Gilberto Gil Saul Barbosa é violonista e compositor. Nasceu na cidade de Ilhéus, Bahia, onde começou a carreira aos 17 anos, como profissional, animando bailes e serenatas em clubes e praias da região, sob influência da Bossa Nova de João Gilberto e do Tropicalismo de Gilberto Gil. Em 1975, mudou-se para o Rio de Janeiro com a finalidade de aprimorar-se como instrumentista e iniciar a carreira profissional. Com o maestro Nelsinho do Trombone, o músico aprofundou os conhecimentos teóricos. Em 1980, lançou o LP de estréia intitulado "O ar, o tempo e o vento", pelo selo Estúdio de Invenções. O disco contou com as participações de grandes músicos cariocas como o trompetista Márcio Montarroyos, o pianista Jota Moraes e do maestro Guto Graça Mello, colaborando nos arranjos e nos vocais. Saul morou no Rio até 1984, quando decidiu retornar à Bahia. Em Salvador, integrou o grupo instrumental "Cozinha Baiana", especializado em ritmos afro-caribenhos. Em seguida, realizou a primeira turnê pela Europa. Por seis meses, Saul tocou em teatros e clubes europeus. Na volta ao Brasil, ainda em 84, o musico lançou o segundo LP "Movimento", gravado no Estúdio de Invenções (Rio). Em 1986, passou a integrar o grupo da cantora Margareth Menezes, novamente excursionando por cidades da Europa e Estados Unidos. A colaboração com a artista durou até 1990, quando retomou a carreira solo com o espetáculo "A música de Saul Barbosa", que lhe garantiu quatro troféus Caymmi em diversas categorias - como compositor, arranjador, instrumentista. Em 1992, assumiu a direção musical da cantora Simone Moreno, participando como violonista e arranjador do disco de estréia da artista. Paralelamente, Saul emprestou o talento de compositor para artistas como Daniela Mercury ("Menino do Pelô"), Elba Ramalho ("Acaba quando começa"), Netinho ("Dance"), Cheiro de amor ("Cinema e ciranda"), Ricardo Chaves ("Clareia"), Banda Mel ("Era tarde"), Armandinho , Dodô e Osmar ("Mistura bahiana"), Tânia Alves ("Negra sedução") e Simone Morero ("Mar dos mistérios"), contabilizando mais de 100 canções gravadas por diversos artistas.