João Borba canta Jorge Costa

Intérprete:
João Borba
Código do CD:
DB0141
Código de barras:
789833903 055 2
Ano:
2009
Gênero:
Samba
Obs.:
gravado "ao vivo"
Compre e baixe no
UOL Megastore
Jorge Costa, um dos mais versáteis compositores da nossa MPB, é o autor de muitos Sambas, cantados tanto no Brasil, como no exterior, sendo que alguns deles se tornaram presença obrigatória nos repertórios carnavalescos. Filho de família humilde, sem nenhuma formação profissional, depois de servir ao Exército Brasileiro, durante a Segunda Guerra Mundial, inicia a sua trajetória para o sucesso, com escalas em Recife, Rio de Janeiro e finalmente São Paulo. Com sua vocação musical batendo mais forte, sempre dividiu seu tempo para se aproximar do mundo que o consagraria, principalmente quando no Rio, morando no Morro da Mangueira e se aproximando dos bambas da Verde e Rosa, como Nelson Cavaquinho, passando a integrar a Ala de compositores. Em São Paulo, passa a participar de programas de Calouros em rádio e tv e a cantar em Boates, que eram os grandes templos da MPB. Reconhecido, passa a viver somente da música e para a música, com centenas de gravações de renomados artistas e orquestras. Num país de curta memória e de mercantilização barata de nossa cultura, como é o Brasil, sua obra, como de outros imortais da MPB, foi relegada a um segundo plano pelos órgãos de comunicação, rádios e tvs, principalmente. É assim oportuna e louvável iniciativa do violonista, cantor e compositor Eduardo Gudin de promover o registro/resgate em disco desse legendário poeta popular. A escolha do intérprete não poderia ser melhor: João Borba. Profundo conhecedor das raízes culturais afro-descendentes, com o aprendizado nos terreiros interioranos paulistas, até o mestrado pelas mãos do poeta Solano Trindade, no seu Terreirão Cultural, na Zona Oeste de São Paulo, tornando-se nos últimos tempos uma das vozes mais expressivas da noite paulistana. A união de São Jorge (Costa) e São João (Borba) é coisa divina. Pelo bem que nos fazem aos ouvidos e corações, deveriam ser beatificados. Muito Axé! (Moisés da Rocha)